Um dividendo é uma parcela dos lucros de uma empresa, decidido pelo conselho de administração da mesma e distribuído a uma classe dos seus acionistas. Os dividendos podem ser emitidos como pagamentos em dinheiro, como ações ou sob outra forma de participação.

Decompondo a noção de dividendo

A taxa de dividendos pode ser cotada em termos da quantia que cada ação recebe (dividendos por ação, DPS na sigla original) ou pode ser cotada como percentagem do atual preço de mercado, referido como rendimento do dividendo (dividend yield).

O lucro líquido de uma empresa pode ser alocado aos acionistas através de dividendos ou mantido com a empresa como lucros retidos. A empresa também poderá escolher utilizar os lucros líquidos para recomprar as suas próprias ações nos mercados abertos num programa de recompra de ações. Os dividendos e a recompra de ações não alteram o valor fundamental das ações da empresa. O pagamento de dividendos deve ser aprovado pelos acionistas e pode ser estruturado como um dividendo único e especial ou como fluxo de caixa contínuo para acionistas e investidores.

Os acionistas de fundos mútuos e de fundos transacionados em bolsa (ETF na sigla original) têm muitas vezes direito a receber dividendos acumulados também. Os fundos mútuos pagam rendimento de dividendos e de juros recebidos pelas participações das suas carteiras. Além disso, os ganhos de capital das atividades de negociação das carteiras são geralmente pagos (distribuição de ganhos de capital) como dividendo de fim de ano.

O modelo de desconto de dividendos, ou modelo de crescimento de Gordon, baseia-se em fluxos de dividendos futuros, antecipados, para ações de valor.

Empresas que emitem dividendos

As start-ups e outras empresas de alto crescimento, como empresas do setor da tecnologia e da biotecnologia, raramente oferecem dividendos pois todo o seu lucro é reinvestido para sustentar o crescimento e expansão acima da média. Empresas grandes e estabelecidas tendem a emitir dividendos frequentes na medida em que procuram maximizar a riqueza do acionista à parte do normal crescimento.

As empresas dos setores e indústrias que se seguem são aquelas com histórico de maior rendimento de dividendos: materiais básicos, petróleo e gás, bancos e setor financeiro, cuidados de saúde e produtos farmacêuticos, serviços públicos e REIT (fundos de investimento imobiliário).

Argumentos para a emissão de dividendos

O principal argumento para a política de dividendos avança que os investidores estão menos certos de vir a receber ganhos de capital dos lucros retidos e reinvestidos pela empresa do que de atuais (e, assim, certos) pagamentos de dividendos. O principal argumento é que os investidores valorizam mais os dividendos atuais, que sabem que irão receber, do que os ganhos de capital esperados, mesmo que sejam teoricamente equivalentes.

Em muitos países, o rendimento de dividendos é tratado a uma taxa fiscal mais favorável do que o rendimento ordinário. Os investidores que procuram fluxos de caixa (ou fluxos de tesouraria) com vantagem fiscal poderão considerar ações que pagam dividendos para tirar vantagem de tributação potencialmente favorável. Esse efeito sugere especificamente que os investidores e acionistas em altos escalões de tributação tendem a escolher ações que pagam dividendos.

Se uma empresa tem um longo histórico de pagamento de dividendos, reduzir ou eliminar a quantia do dividendo poderá ser um sinal de que a empresa se encontra em apuros. Um inesperado aumento da taxa de dividendo poderá ser um sinal positivo para o mercado.

Políticas de pagamento de dividendos

Uma empresa que emite dividendos poderá escolher a quantia a pagar utilizando um número de métodos.

  • Política estável de dividendos: mesmo que os ganhos da empresa se encontrem em constante mudança, a política estável de dividendos foca-se na manutenção de um pagamento estável de dividendos.
  • Target payout ratio: uma política estável de dividendos poderá focar-se num rácio dividendo/lucros de longo prazo (rácio de dividendos pagos face ao lucro). O objetivo passa por pagar uma percentagem definida dos lucros.
  • Constant payout ratio (pagamento de dividendos constante): a empresa paga uma percentagem específica dos seus lucros, todos os anos, como dividendo e a quantia dos dividendos varia consoante os lucros da empresa.
  • Modelo de dividendos residuais: os dividendos baseiam-se nos lucros menos os fundos que a empresa retém. Quaisquer lucros residuais são então pagos aos acionistas.
Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça um "gosto" a esta página para que possamos continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente