5 Factos que provavelmente não conhece sobre a Ripple
Página principal Finanças, Criptomoedas, Investimento em criptomoedas, Altcoins
Tema do momento
14 Março
6199 6k

A Ripple foi a criptomoeda com melhor desempenho em 2017 e são cada vez mais os investidores a considerarem esta alternativa à Bitcoin

A Bitcoin (Bitcoin) foi uma das histórias mais populares dos mercados financeiros em 2017 — e o seu sucesso tratou-se apenas da ponta do icebergue para o mercado de criptomoedas como um todo. No entanto, muitos não sabem que a Ripple teve um desempenho ainda melhor e que muitos investidores começam a considerar esta alternativa à Bitcoin — para diversificarem a sua exposição às criptomoedas ou alcançarem ganhos potencialmente superiores.

Com o investimento neste mercado a tornar-se mais popular, é importante que conheça o máximo possível sobre as criptomoedas nas quais pretende investir. Tendo esse raciocínio por base, seguem-se alguns factos sobre a Ripple que até mesmo alguns dos mais bem-sucedidos investidores desconhecem

1. A criptomoeda não se chama mesmo Ripple

A palavra ripple enrola-se na língua, o que a torna uma designação atraente para uma criptomoeda. A empresa por trás do token chama-se Ripple Labs e utiliza geralmente o termo ripple para se referir à rede global que estabeleceu para permitir que instituições financeiras processem pagamentos de clientes em todo o mundo.

Todavia, o ativo digital associado à Ripple Labs tem a designação formal XRP. Porém, uma vez que é mais fácil dizer ripple do que uma sigla de três letras, é provável que designar a criptomoeda por Ripple continue popular no futuro.

2. Pode utilizar a rede Ripple sem ter XRP

Para algumas empresas por detrás de criptomoedas, a posse de tokens correspondentes é essencial para utilização do serviço fornecido. Não é o caso com a Ripple. Instituições financeiras podem utilizar a rede Ripple sem utilizar XRP. A rede oferece acesso a pagamentos instantâneos, fiáveis e económicos.

Porém, a Ripple Labs explica que o recurso a XRP pode ajudar as instituições a reduzirem os seus custos no acesso a novos mercados — utilizar XRP facilita a movimentação de fundos que envolva câmbio. Falamos de transferências globais em tempo real que eliminam atrasos longos sentidos com outro tipo de infraestruturas de pagamentos.

3. A Ripple Labs tem mais de metade do fornecimento total de XRP

No início de 2018, a Ripple Labs detinha cerca de 60 mil milhões de XRP do fornecimento total de 100 mil milhões de XRP, uma participação de cerca de 60% na sua própria criptomoeda. Tal centraliza o seu controlo sobre a XRP — o que não agrada a parte da comunidade de criptomoedas, que aponta para outros tokens com explícita gestão descentralizada.

Contudo, mesmo em situações em que a infraestrutura de uma criptomoeda não tem controlo central explícito sobre a mesma, um pequeno número de grandes jogadores detém geralmente o estatuto de oligopólio. Além disso, como verá abaixo, a Ripple Labs considera que o seu plano para lançamento controlado de XRP lhe concede vantagem.

4. Deverá chegar fornecimento de Ripple ao mercado a cada mês

No final de 2017, a Ripple Labs colocou 55 mil milhões de XRP em contratos de depósito — criando 55 contas separadas. Ao longo dos próximos 55 meses, estes contratos irão expirar ao ritmo de um por mês, libertando tanto como mil milhões de XRP no mercado. Se a Ripple Labs não utilizar todo o fornecimento mensal de XRP, o mesmo será colocado de novo em contrato de depósito — com nova data de validade, o que irá atrasar o vencimento de todos os contratos por mais um mês.

A Ripple Labs afirma que a sua taxa média de utilização mensal nos últimos 18 meses correspondeu a cerca de 300 milhões de XRP. Tal poderá levar a que os contratos demorem 15 anos ou mais a vencer — o que poderá dissipar preocupações sobre ampla chegada de tokens ao mercado capaz de conduzir a queda do preço.

5. A Ripple teve a sua própria carteira de XRP

No início, a Ripple fornecia um sítio oficial que permitia a compra, venda, negociação e armazenamento de XRP. A RippleTrade.com agia como carteira digital para transações com XRP. Contudo, no início de 2016, a empresa optou por descontinuar esse serviço. A Ripple Labs trabalhou com o fornecedor de carteiras GateHub para migrar contas da RippleTrade — mas os utilizadores podiam escolher outros fornecedores se o desejassem.

O movimento foi desenhado para permitir que a RippleLabs se focasse no seu principal objetivo: o trabalho com instituições financeiras globais.

A Ripple viu a sua popularidade saltar no ano passado com muitos investidores a familiarizarem-se com a criptomoeda e com a rede de pagamentos subjacente. À medida que a velocidade das transações financeiras globais se torna mais crítica, alguns investidores irão considerar a Ripple para aproveitarem a inovação que oferece na indústria de pagamentos.

Leia também:

Хотите узнать больше о гражданстве за инвестиции? Оставьте свой адрес, и мы пришлем вам подробный гайд

Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça um "gosto" a esta página para que possamos continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente