6 Dicas para tornar o seu Wi-Fi mais rápido
Página principal Tecnologia

É provável que não esteja a utilizar todo o potencial da sua internet em casa

Raramente encontra alguém que esteja totalmente satisfeito com o Wi-Fi que tem em casa. Apesar de todos os desenvolvimentos tecnológicos que se alcançaram, desde o tempo em que obter internet significava ter de suportar uma conexão dial-up, os serviços domésticos falham muitas vezes.

Ter de pagar por um serviço mau e com falhas parece uma ideia inconcebível. No entanto, segundo os especialistas, existem inúmeras razões para o Wi-Fi ser lento – e com os prédios lotados e outros problemas de interferências de sinal, é comum os serviços de fornecimento de internet não poderem fazer muito para ajudar. Seguem-se algumas coisas que pode fazer para tornar o seu Wi-Fi mais rápido.

1. Verifique o sinal

Entre em contato com o seu fornecedor de internet e peça-lhes para que avaliem o nível do sinal – ou seja, o nível de decibéis de internet que é transmitido para sua casa – e não apenas a largura da banda. Normalmente, os fornecedores são obrigados a reparar problemas no sinal de graça – e ainda podem encontrar maus conetores de cabos ou más construções na sua área que danificam a conexão.

Também deve verificar muito bem se a banda de internet que está a pagar tem capacidade para suportar o número de dispositivos que tem em casa. Em sites gratuitos como o SpeedTest e outros recomendados pelo seu fornecedor de internet, poderá ficar a saber quanta largura de banda tem em comparação ao que está a pagar, permitindo-lhe ver o que tem de fazer para manter a internet a funcionar em plena capacidade. Outras ferramentas analíticas gratuitas podem dar-lhe uma melhor visão da força do seu sinal, interferências e outros fatores. Segundo a empresa de fabrico de dispositivos de Wi-Fi EnGenius Technologies, para o agregado familiar médio de 4 a 5 pessoas são necessários 50 megabits por segundo para downloads e 5 megabits por segundo para carregamento e transferência de dados.

2. Proteja o seu Wi-Fi

Uma das coisas mais básicas que pode fazer para aumentar a velocidade do seu Wi-Fi é certificar-se de que os vizinhos não estão a conectar-se ao seu serviço sem o seu consentimento. Muitas redes Wi-Fi vêm com passwords pré-definidas que podem ser facilmente encontradas em fóruns online ou adivinhadas. Certifique-se de que atribui uma nova password à sua rede que não seja fácil de adivinhar (por exemplo, não ponha a sua morada) e considere utilizar uma rede de convidados para os seus amigos.

3. Atualize o seu hardware

A maioria das contas de internet inclui o custo dos equipamentos que o fornecedor de internet aluga aos consumidores todos os meses. Assim, comprar o seu próprio equipamento pode poupar-lhe centenas de euros durante vários anos. Vá ao site do seu fornecedor e verifique que dispositivos são compatíveis. Ao escolher um router, certifique-se de que escolhe um de banda dupla que utilize o 802.11AC, o Wi-Fi standard mais recente, para obter a velocidade mais rápida.

Algumas fontes também sugerem que os routers com uma antena externa transmitem sinais mais potentes. Contudo, talvez por acharem as antenas visíveis inestéticas, os consumidores poderão optar pela variedade com antena interna. Alguns peritos sugerem que deve gastar pelo menos 200 dólares (140 euros) num router para garantir a sua total funcionalidade.

No entanto, Sam Bell da empresa de componentes CoCo Communications afirmou recentemente que a diferença de desempenho entre equipamentos de hardware topo de gama e modelos mais baratos diminuiu. Além disso, o tipo de hardware é apenas uma pequena parte que abrange toda a experiência do consumidor.

“Antigamente, optar por um hardware novo e melhor tinha um impacto muito maior no desempenho” referiu Bell. “Hoje em dia, o mais importante é ter tudo em conta.”

4. Faça uma escolha ponderada da sua frequência

Existem dois tipos de Wi-Fi diferentes disponíveis no mercado: os que têm a anterior frequência padrão de 2.4 Ghz e a frequência mais recente de 5 Ghz. Os routers de banda dupla oferecem-lhe ambas (normalmente, quando instala este router depara-se com a opção “rede 2.4” e “rede 5”), contudo, os especialistas sugerem que faça a transição para os routers de 5 Ghz o mais depressa possível. O motivo é que o router de 5 Ghz tem muitos mais canais para escolher do que os de 2.4 Ghz, o que permite conexões menos concorridas e mais rápidas.

Este facto é especialmente importante para as cidades, onde a sobreposição de redes nos apartamentos faz com que estas estejam sempre a interferir umas com as outras para obter ligações. Pode encontrar ferramentas grátis que examinam as redes e mostram-lhe que canal (na frequência) é menos concorrido, se bem que a maioria dos routers modernos já escolhe automaticamente a rede menos frequentada.

5. Mude o seu router de sítio

“Em vez de perder tempo a tentar encontrar um canal de Wi-Fi aberto, concentre-se antes na localização do seu router e ponto de acesso de internet”, sugere Riley Eller da CoCo Communications.

“Pode não conseguir resolver os problemas com os seus vizinhos, mas pode conseguir resolver problemas de cobertura”, disse Eller.

Um router deve ter espaço suficiente para “respirar”: se possível, coloque-o num local alto, especialmente se morar no rés-do-chão de um prédio, já que a terra por debaixo da sua casa reduz para metade a capacidade do Wi-Fi. Ao contrário do Wi-Fi de 2.4 Ghz, o Wi-Fi de 5 Ghz não consegue passar através das paredes. Assim, se optar por este tipo de Wi-Fi, veja a conexão que vem do router como um holofote e crie um caminho para que chegue a todas as divisões da casa.

De acordo com Eller, até colocar espelhos perto do router ou colocá-lo perto de condutas de aquecimento pode ajudar a conduzir o Wi-Fi a áreas difíceis de alcançar, e assim melhorar a conexão. Além disso, o router deve ser colocado no local mais central possível da casa. Quanto mais reduzir a distância entre o dispositivo mais afastado e a fonte de Wi-Fi, mais rápida será a sua internet.

6. Adaptadores e extensores

Se não tem possibilidade de mover o seu router para um local mais central na sua casa, ou se está a ter pontos mortos na sua rede Wi-Fi, investir num extensor de Wi-Fi pode parecer a solução mais óbvia. No entanto, Eller afirma que esses dispositivos podem fazer ainda pior e dividir a sua conexão, fazendo com que a largura de banda diminua 40 a 69%.

O que o especialista sugere é que se compre um ponto de acesso de internet, um dispositivo independente do router e modem que funciona como núcleo de rede, criando outro portal para a conexão sem dividir a potência da mesma. Alguns exemplos são os Almond da Securifi e os pontos de acesso de marcas como a D-Link e a TP-Link. Podem ser conectados ao modem por via Ethernet (a opção com uma melhor conexão) ou um adaptador powerline sem fios. Assim, pode diminuir o número de pontos mortos em casa e aumentar duas a cinco vezes a velocidade de Wi-Fi para os seus dispositivos.

Хотите узнать больше о гражданстве за инвестиции? Оставьте свой адрес, и мы пришлем вам подробный гайд

Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça um "gosto" a esta página para que possamos continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente