Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Página principal Tecnologia

A vida na Coreia do Norte (ainda) é bastante opaca

O atual líder, Kim Jong-un, foi educado na Europa – tal como os seus antepassados.

Contudo, a sua educação aparentemente liberal não teve influência na vida adulta – com o país a manter uma névoa de secretismo apesar de enfrentar questões económicas crónicas e escassez de alimentos.

Porém, o líder cedeu a uma pressão da vida moderna: a internet.

É difícil obter estatísticas atualizadas mas o país está a ficar cada vez mais online.

Segue-se como os norte-coreanos utilizam a tecnologia.

Quase ninguém utiliza internet

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
David Guttenfelder/AP

A internet como a conhecemos existe na Coreia do Norte mas o acesso é bastante limitado e apenas permitido a estrangeiros e à elite.

A maioria das pessoas acede à internet interna da Coreia do Norte, a Kwangmyong, completamente “isolada” face ao mundo exterior. Os sites são, na sua maioria, de instituições do país – contudo, a intranet começa a abrir-se também ao comércio interno. O primeiro site para compras online do país, chamado Okryu, foi lançado em 2015.

A Coreia do Norte proibiu o Facebook mas criou um clone

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Doug Madory/Dyn Networks

A Coreia do Norte proibiu o acesso ao Facebook na internet aberta mas parece que o regime gosta do conceito. O país criou um clone que foi descoberto por um investigador do Dyn Networks, Doug Madory, no ano passado – e de seguida invadido. O clone é totalmente funcional: permite que os utilizadores se registem com o seu e-mail e publiquem mensagens nas páginas uns dos outros. Não é claro se o mesmo atraiu mais utilizadores desde a “invasão” informática.

Um em cada 10 norte-coreanos tem um smartphone

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
AP Photo/Wong Maye-E

Como outros países em desenvolvimento, a Coreia do Norte passou a fase dos telefones fixos, dos computadores e da banda larga – para chegar aos telemóveis. De acordo com a principal operadora do país, a Koryolink, há cerca de 3 milhões de assinantes de serviços móveis. A posse de computadores pessoais, por outro lado, encontra-se nas centenas de milhares, de acordo com estimativas de Andrei Lankov, autor de “The Real North Korea” (A Verdadeira Coreia do Norte).

Mas não podem fazer chamadas internacionais

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Jon Chol Jin/AP

A Koryolink não permite chamadas internacionais – embora os cidadãos a viver perto da fronteira com a China utilizem telemóveis e cartões SIM importados para ligar a familiares que deixaram o país, de acordo com a Amnistia Internacional. A entidade nota que se trata de uma atitude arriscada pois o regime prende qualquer indivíduo que encontre a utilizar um telemóvel importado.

Os computadores de secretária são apenas para os mais ricos

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Lee Jae-Won/Reuters

Os norte-coreanos utilizam computadores mas estes encontram-se principalmente disponíveis para as elites – como estudantes da Universidade de Pyongyang. Os computadores também estão disponíveis em ciber-cafés e escolas, embora a utilização seja monitorizada.

O acesso a computadores é tão restrito que as pen USB são acessório de moda

Os computadores são tão raros que os mais jovens a viver na capital do país utilizam pens USB como acessório de moda, de acordo com Lankov.

Os computadores correm um sistema baseado em Linux...

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Will Scott

A Coreia do Norte criou o seu próprio sistema operativo – que se chama Red Star e que, de acordo com os investigadores Florian Grunow e Niklaus Schiess, inclui uma aplicação para processamento de texto, calendário e serviço para composição de música. Como os norte-coreanos utilizam pens USB contrabandeadas da China para ver filmes, notícias e outros media de forma ilegal, o sistema operativo sinaliza os ficheiros, o que significa que podem ser rastreados quando transferidos.

... Que se parece com o OS X

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Will Scott

O sistema operativo é muito semelhante a sistemas operativos ocidentais – contudo, com toda a paranóia em que está envolto.

Os tablets são também apenas para a elite

A Coreia do Norte também apanhou a moda do tablet. O tablet Woolim foi revelado no ano passado por Florian Grunow, Niklaus Schiess e Manuel Lubetzki. Não tem wi-fi ou bluetooth e corre numa espécie de Android. Apesar de ser fabricado de forma barata na China, e de custar cerca de 250 euros, surge como inacessível para a maioria dos norte-coreanos.

Algumas pessoas têm televisão – mas estas estão pré-sintonizadas

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Amr Abdallah Dalsh/Reuters

A posse de televisão não é incomum na Coreia do Norte uma vez que é um meio útil para o governo distribuir propaganda em massa. Contudo, as mesmas estão pré-sintonizadas para estações da Coreia do Norte e a polícia visita as casas com regularidade para verificar se as configurações foram alteradas, de acordo com Barbara Kemich, autora de “Nothing to Envy” (Nada a invejar) – uma série de entrevistas com desertores.

As pessoas podem escolher apenas entre duas operadoras móveis

Como os norte-coreanos utilizam a tecnologia
Amr Abdallah Dalsh/Reuters

A principal operadora é a Koryolink, uma joint venture entre a empresa de telecomunicações egípcia Orascom e o governo. Mas a Orascom “perdeu o controlo” da empresa em 2015 e uma rival financiada pelo Estado, chamada Byol, emergiu desde então. A Byol poderá vir a fundir-se com a Koryolink, deixando o estatuto da Orascom no país incerto e concedendo ao governo maior controlo sobre as telecomunicações.

Хотите узнать больше о гражданстве за инвестиции? Оставьте свой адрес, и мы пришлем вам подробный гайд

Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça um "gosto" a esta página para que possamos continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente